Imagem

PIRES DE ALMEIDA, José Ricardo
Chefe do Arquivo da Sec. da Câmara Municipal / Arquivo da Intendência de Instrução e Estatística

Filho do Dr. Joaquim Pires Garcia e de D. Maria Luiza Pires, José Ricardo Pires de Almeida nasceu no Rio de Janeiro, em 07/12/1843. Médico de formação, foi também jornalista, historiador e teatrólogo. Cursou três anos de Direito na faculdade de São Paulo, mudando de curso e graduando-se em 1871, na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Sua atuação na área se inicia no Instituto Vaccinico, como comissário vacinador nas freguesias de Inhaúma, Irajá e Jacarepaguá. Posteriormente, foi médico adjunto da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro.

Em 1855 foi nomeado para o cargo de Chefe do Arquivo da Secretaria da Câmara Municipal, permanecendo na função por mais de três décadas. Em relatório datado de 20/01/1890, Pires de Almeida faz um desabafo sobre a perda de atribuições que o Arquivo vinha sofrendo frente à Seção de Tombamento. Segundo afirma: “Por quanto à Seção de Tombamento tem sido conferida toda a parte ativa das investigações, ao arquivista só ficou o papel passivo de guarda dos papéis subordinados à secretaria (…) Ora, desde que à Seção de Tombamento compete a iniciativa, o arquivista não tem mais que manter a boa ordem nos documentos confiados à sua vigilância; é o que eu tenho feito e com a mais escrupulosa fidelidade”. Exonera-se da direção do Arquivo no mês seguinte, em 25/02/1890, que neste momento encontrava-se vinculado à Intendência de Instrução e Estatística do Distrito Federal. Ainda em fevereiro, assume o cargo de Bibliotecário/Arquivista da Inspetoria Geral de Higiene.

Após longos anos atuando na área arquivística, em 1892 foi nomeado como higienista da comissão responsável pela escolha da nova capital do Estado de Minas Gerais. A Comissão de Estudo das Localidades indicadas para a nova Capital foi presidida pelo engenheiro carioca Aarão Reis. O relatório da comissão, que designava o arraial de Belo Horizonte como local a ser instalada a capital, foi apresentado ao presidente do Estado em junho de 1893 e aprovado pelo Congresso Mineiro em 17/12/1893.

Autor de diversos livros das mais variadas temáticas, como composições dramáticas, obras médicas e históricas, também foi colaborador do Jornal do Commercio, da Gazeta de Noticias, do Correio Paulistano, da Ilustração Brasileira, dentre outros.

Faleceu aos 70 anos, no Rio de Janeiro, em 24/09/1913. Seu filho, Ernesto Pires de Almeida, doou ao Arquivo do Distrito Federal todas as estampas e fotogravuras pertencentes ao seu pai de autoria de artistas como Rugendas e Debret.

 

José Ygor Silva Pena

Luiza Ferreira

Fontes

Palavras-chave